Nossos

CONTEÚDOS

#CONTEUDO

Os mercados e  profissionais precisam se adequar e se manter atualizados diante das informações e dos fenômenos ao seu redor, por isso conteúdo é tão importante.

Internetês: a linguagem abreviada e imediatista



Com o avanço das tecnologias e da internet, a linguagem também sofreu inúmeras metamorfoses, neste contexto, o internetês surgiu por uma necessidade de dinamizar e agilizar a comunicação neste meio, se caracterizando como uma nova forma de linguagem presente na vida de todos os usuários de internet e principalmente de aplicativos que possibilitam a troca de mensagens, como Messenger e WhatsApp.

O internetês tem como definição de linguagem a abreviação de palavras até se tornarem uma única expressão, sem a preocupação de uso de acentuação ou pontuação.

Todas as palavras do internetês são baseadas na norma culta, de maneira que, por serem baseadas nela, é que todas as abreviações fazem sentido a quem escreve e a quem recebe. 

Além disso, abreviações já existem há muito tempo, sendo que a internet só contribuiu assim, para a difusão desta técnica.

As abreviações em conversas na era do internetês não se limitam a apenas abreviações de palavras, mas também ao uso de emojis, os quais surgiram no Japão, na década de 1990. Eles foram criados por uma companhia telefônica como uma opção para deixar as mensagens de texto mais divertidas e emocionais. Podem ser considerados como uma evolução do emoticon, termo que foi criado a partir das palavras inglesas emotion (emoção) e icon (ícone). 

Os emoticons surgiram nos EUA, em 1982, a partir de sequências de caracteres do teclado padrão, tais como :-) ou :-(. Trata-se da representação gráfica de uma emoção. Eles foram muito usados em programas de chat, como o MSN e Messenger. 

Atualmente, cerca de 93% dos usuários de redes sociais fazem o uso de emojis em suas conversas e existem mais de 1000 ícones de emojis atualmente catalogados.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo